Notícias

28/12/2018

Salário Emocional: muito mais que uma recompensa

Crédito Raw Pixel - Pexels

Conjunto de fatores motivacionais oferecido por empresas tem sido cada vez mais valorizado

Um dos principais produtos oferecidos pela ARH Serrana, a Pesquisa de Remuneração e Indicadores de RH é uma ferramenta extremamente eficiente e confiável para que empresas e organizações acertem em suas decisões estratégicas e financeiras. Ano a ano o levantamento revela diagnósticos cada vez mais completos, indicando aos gestores, entre outros aspectos, quais as melhores práticas de recursos humanos. É aí que entra o Salário Emocional, termo que tem surgido com força nos relatórios e revela o impacto que uma política de gestão bem estruturada representa no sucesso de uma empresa.

O Salário Emocional é um conjunto de fatores emocionais e motivacionais que fazem com que os profissionais de uma empresa queiram permanecer nela. Pode parecer algo subjetivo, mas no conjunto desses benefícios não estão apenas auxílio em despesas médicas, creche para os filhos dos funcionários e subsídios em cursos de capacitação e qualificação, para citar os exemplos mais comuns. O Salário Emocional vai além.  Uma pesquisa realizada recentemente pela consultoria Kienbaum junto a 18 mil líderes, entre diretores e gerentes, apontou que o item mais importante para o profissional se sentir bem e motivado em uma organização está relacionado ao progresso na carreira, ao aprendizado e ao desenvolvimento. A natureza das atividades, um ambiente de trabalho desafiador e o conteúdo enriquecedor da função também são levados em conta. A remuneração apareceu só na quarta posição.

A 34ª edição da Pesquisa Salarial da ARH Serrana, em 2018, foi realizada pela consultoria SAP, com sede em Campinas (SP). E o Salário Emocional ganhou força entre os apontamentos em relação às edições anteriores. “Junto à pesquisa salarial é realizada a pesquisa dos indicadores de Recursos de Humanos, praticada há quase dez anos. As empresas que respondem a este questionário recebem um book com informações referentes a uma série de indicadores/práticas que oferecem inputs para aprimorar as políticas de atração e retenção de colaboradores. É nesse sentido que o Salário Emocional aparece”, explica Graziela Silva, diretora do Departamento de Pesquisas da ARH Serrana. Ela reforça que ele não está relacionado ao salário fixo e/ou aumento salarial, não trata-se de recompensas, e sim de oportunidades de desenvolvimento profissional e progressão na carreira, reconhecimento do trabalho, motivação,  ambiente de trabalho positivo e desafios no cargo. “Estamos em uma era de transformação nas relações do trabalho, o que exige novas estratégias para planejamento e tratativas para com a área de remuneração. Uma dessas mudanças é pensar na forma de alinhar remuneração X Salário Emocional, conectar os valores das pessoas com os propósitos da organização”, observa Graziela.

Dia da Remuneração

O Salário Emocional já vem sendo trabalhado pela ARH Serrana a partir da análise dos relatórios e indicadores de suas Pesquisas Salariais. O assunto tem pautado também os cursos de Cargos e Salários realizados pela Associação. “Estamos estruturando para 2019 o Dia da Remuneração, evento que vai explorar melhor essa questão”, adianta. “O Salário Emocional está diretamente ligado ao clima organizacional e ao desempenho das pessoas. Empresas que possuem estas características estão preocupadas com a retenção e atração dos colaboradores, construindo um ambiente de trabalho engajador que fortaleça as relações de confiança entre as partes. Esse é um caminho sem volta”, acrescenta.

Trabalhando bem

Empresas que estão no ranking das melhores para se trabalhar oferecem Salário Emocional, ou seja, suas políticas e práticas são pautadas por altos níveis de engajamento e ambientes de trabalho saudáveis. Confira alguns desses diferenciais.

- Possibilidades reais de crescimento e estímulos a novos desafios;

- Programas de desenvolvimento de carreira;

- Ambiente de trabalho agradável e estimulante;

- Atenção às necessidades profissionais e pessoais do colaborador;

- Programas e treinamentos motivacionais;

- Pesquisas de clima organizacional;

- Comunicação clara e ágil entre colaboradores e superiores;

- Transparência em relação aos objetivos da empresa;

- Flexibilidade na rotina organizacional;

- Ações em datas comemorativas;

- Relação transparente entre empregado e empregador

Pesquisa 2019

Inscreva-se já para a Pesquisa de Remuneração e Indicadores de RH 2019

Compartilhe: