Blog

11/06/2021

Qual é o futuro da gestão de pessoas? 4 tendências para os próximos anos

Se até o ano de 2019 as diretrizes para gestão de pessoas eram bem definidas, a pandemia de Covid-19 mudou totalmente esse cenário. Apesar de sabermos que lidar com pessoas nunca foi fácil, essa tarefa tornou-se ainda mais complexa em meio ao momento que estamos vivendo, especialmente com a necessidade de adaptação das empresas para modelos de trabalho nos formatos híbrido e home office. Em outras palavras, foi preciso aprender e se adaptar ainda mais a realidades que antes eram distantes. 

Então, considerando essas mudanças, qual será o futuro da gestão de pessoas, e quais as principais tendências para 2021 e os próximos anos? Para entender melhor sobre o assunto, continue a leitura.

4 tendências para o futuro da gestão de pessoas

Primeiramente, é preciso dizer que não somente as empresas e os gestores tiveram que lidar com mudanças e aprender rapidamente com elas, mas os funcionários também. Com isso, o Recursos Humanos foi um dos departamentos mais importantes durante essa transação, sendo também um dos responsáveis pela transição do trabalho dentro da empresa para o trabalho dentro de casa. Confira, a seguir, as principais mudanças e tendências da gestão de pessoas.

1. Tecnologia e digitalização do setor de gestão de pessoas

Entre essas mudanças, estão a implementação de tecnologias para o trabalho híbrido e home office, a flexibilização de horários, a coleta de dados e os treinamentos e reuniões internas, entre outros fatores. E com isso, se a digitalização do setor de gestão de pessoas era apenas recomendada, hoje ela se tornou obrigatória. 

No caso da Randon, parceira da ARH Serrana, esse processo sem dúvida foi acelerado pela pandemia. 

“Principalmente práticas e processos envolvendo inovação. Sabemos que o futuro do trabalho nos reserva uma série de transformações, tendo em vista todas as tendências em gestão de pessoas  que se aproximam, como a inteligência artificial, os avanços tecnológicos e a reinvenção dos negócios como um todo. Essa é uma jornada que estamos trilhando e que conta com diferentes projetos, como as células exploratórias Randon Exo e a Randon Ventures, nossa unidade de investimentos em startups. São iniciativas que nos aproximam de ambientes disruptivos e que nos possibilitam estarmos muito mais abertos para o novo”, afirma Silvana Gemelli, gerente de Pessoas e Cultura das Empresas Randon.

2. Comunicação fluída e objetiva

Certamente a comunicação é o fator mais importante para o futuro da gestão de pessoas. Em um momento de isolamento e trabalho home office, por exemplo, é preciso construir estratégias para manter o time unido (mesmo remotamente) e fazer os alinhamentos técnicos necessários de forma rápida e eficiente.

Na Randon, Silvana afirma que esse foi um dos principais desafios da empresa. “Tivemos que reinventar alguns processos, principalmente envolvendo a nossa comunicação interna, que precisou ser muito mais fluida, em tempo real e objetiva. Para que isso funcione é importante instigar reuniões com pautas definidas, estabelecer horários e dar espaço de fala para todos. Percebemos que isso vem funcionando muito bem, tanto para reuniões rápidas entre os times quanto para encontros com lideranças de unidades de todo o Brasil e do exterior”, explica.

3. Flexibilidade e simplificação dos processos

Cada vez mais é necessário simplificar os processos de cada setor dentro das empresas e oferecer ferramentas e autonomia para os colaboradores realizarem seu trabalho. Para o futuro, isso deve ser essencial, especialmente em uma perspectiva de trabalho remoto ou híbrido. Assim, mais do que qualquer direcionamento estabelecido pela metodologia, a gestão ágil precisa trazer simplificação dos processos e dar autonomia para os profissionais. 

“Os colaboradores ficam mais envolvidos diretamente com os objetivos do negócio, mais satisfeitos por se sentirem parte e com mais momentos de interações, já que o espírito de cooperação e de trabalho em conjunto precisam fazer parte disso tudo”, explica a gerente de pessoas e cultura da empresa Randon.

4. Treinamentos online e conversas frequentes

Por fim, o e-learning (aprendizagem virtual, em tradução literal para o português) certamente se coloca como uma das tendências para o futuro da gestão de pessoas. Isso porque, desde que haja uma boa porcentagem de criatividade e uma plataforma de qualidade, os treinamentos online possuem tudo para se consagrarem nessa nova realidade. 

Além disso, é essencial que os gestores sejam constantemente orientados a dedicar mais tempo para os colaboradores, com momentos de escuta cada vez mais frequentes. “Na Randon, instigamos até mesmo pequenas celebrações como aniversários ou algum projeto de destaque. Tudo para que as ações, que antes já eram feitas, sigam como parte da rotina ou se intensifiquem”, conclui Silvana.

E então, o que achou das tendências para o futuro da gestão de pessoas? É claro que esse é apenas um recorte das necessidades que serão apresentadas nesta nova realidade. Por isso, é essencial estar atento ao mercado e suas transformações para que sua empresa possa estar preparada para o amanhã. Seja sócio da ARH Serrana!

Compartilhe: